Fazenda Restinga: Ricardo Salles participa de encontro com produtores rurais - Ricardo Salles
Blog

Fazenda Restinga: Ricardo Salles participa de encontro com produtores rurais

O ex-secretário estadual de Meio Ambiente, Ricardo Salles, esteve reunido na manhã de hoje (27) com agricultores, autoridades e representantes da Polícia Militar Ambiental em encontro realizado na Fazenda Restinga. O comandante geral da PM Ambiental, Alberto Sardilli, que também era esperado não pôde comparecer ao evento devido a mudança de agenda.

O principal assunto discutido foi à falta de segurança para os produtores que sofrem as graves consequências provocadas pela ação de criminosos. Além deste, também foram abordados temas relacionados ao meio ambiente, código florestal e dificuldades na logística de escoamento da produção agrícola.

fazenda-restinga-1

Em entrevista exclusiva ao repórter Samuel Cintra pela Rádio Imperador e o portal Pop Mundi, Ricardo Sales, disse que “são diversos fatores, primeiro a ausência de condições de legítima defesa do produtor rural, ou seja, com essa imposição do desarmamento as pessoas não têm mais como se defender, o que é um erro na minha opinião. Em segundo lugar, ficou mais fácil para criminalidade agir no campo porque estando mais longe das cidades, dos centros urbanos, das delegacias, das bases de policiamento de área, ele consegue furtar e roubar antes da chegada da força policial”  explicou.

Enquanto esteve à frente da secretaria, Salles, destacou a implantação do Programa Propriedade Amiga, uma espécie do Vizinhança Solidária, desenvolvido nas cidades, mas que foi criado para o campo. Nele são formados grupos por aplicativos de agricultores, cadastramento das propriedades inclusive utilizando os dados do Cadastro Ambiental  Rural (CAR).

fazenda-restinga-2

Por meio da comunicação integrada é possível evitar roubos de gado, furtos de máquinas e ainda facilitar no trabalho da Polícia Ambiental. Salles ainda fez duras críticas a chamada audiência de custódia, onde os suspeitos são submetidos horas depois de praticar os crimes.

“É um absurdo, ao invés de você ouvir a vítima no momento da infração, você está ouvindo o bandido. Foi uma pressão do governo que não queria gastar dinheiro com presídios e cadeias para diminuir o fluxo de presos, só que quem paga o preço disso é a sociedade” concluiu.

O evento ainda contou com a presença de representantes da Sociedade Rural Brasileira que além de cobrar as autoridades, busca uma maior união entre os produtores para que soluções sejam conquistadas na área de segurança.

Marcus Vinícius Falleiros disse que “um grande gargalo da produção agropecuária hoje é a questão de segurança, nós não temos tranquilidade de mandar um café para o armazém, não pode deixar estocado e nem dormir nas fazendas” desabafou.